sábado, 14 de junho de 2008

Escrever


Escrever é distrair a tristeza
com a alegria que se tem,
mas que nunca é observada.
Escrever é cavar o buraco
desnecessário de se cavar
e quem cava é só
quem quer lembrar.
Escrever é provocar o leitor
para alguma conclusão
inexistente, porque a preguiça
de pensar ainda existe.
Então é só inventar alguma
teoria independente de concordância
alheia para perceber que
não vale a pena ser triste.
Escrever é quebrar o prato
no chão da cozinha e não varrer,
porque o escritor sabe
que a correção também é imperfeita
e o experimento é necessário
antes de ele morrer.
Escrever é ter a respiração alterada
por causa da agonia ou desalegria
que passa por ruas de realismo
até chegar ao endereço.
É a tal mania de quem escreve
e ao choro não fica imune,
mas não nega seu velho costume,
pois sabe que sua caneta não tem preço.
Fábio Campos Coelho [14.06.08]

Um comentário:

LunaJeannie disse...

eu quase decorei do tanto que li.. amei, amei! descreveu o 'escrever'.