sexta-feira, 20 de junho de 2008

BOA!


Boa? E você ainda me pergunta se a vida é boa?
Não é boa pra quem não foi compensado a viver; isso sim.
A vida é boba e pode até ser ilusão. Reclamar dela sem motivo, porém, nem sei se é ingratidão ou burrice, lembrando que essa última nasce pela pretensão, também.
Qual será a mulher, dona de minha vida que cuidará dela como nem mesmo eu sei ainda? Isso é mistério mesclado com curiosidade de menino solitário. Qual será a mulher dona de minha alegria teoricamente eterna, proprietária dos meus pensamentos genuínos, da minha paixão grandiosa e até das minhas artes por pura pureza e necessidade? Eu gosto de coisa esboçada, de arte, de alegria por acaso.
É engraçado que a alegria por acaso diferencia de todas as belezas cotidianas, não dizendo que essas sejam promíscuas, porém quem é alegre puramente não tem o desagradável direito de ser intrometido por um bêbado ou invejoso, pois sua virtude é o resto de que sobrou no universo e a salvação para os que não tem mais esperanças. Na verdade, eles devem ser agradecidos, por transmitir viço para os mais vis, como eu e você.
Obrigado, portanto, pessoas felizes, que, por ética ou perfeição de espírito, dizem que, talvez e felizmente, nossa vida seja eterna!

Fábio Coelho (sem data)

Um comentário:

Polly disse...

Eu te acompanho sempre!!