domingo, 28 de setembro de 2008

80 Anos


Essa é para quem

Acha que a bolacha

Vale mais que o recheio.


E para a minha Teresa

Que além da beleza

Tem sabedoria, creio.


Não interessa se já pecou

Ou se algum dia falou

De algo que não existe.


E se falou alto

com as suas crianças

Não foi por implicâncias

Foi por medo de gastrite.


Vida de dona de casa não é fácil.

Muita gente pensa ser moleza

Mas vocês podem ficar sabendo

Que batalhou muito Dona Teresa.


Muita roupa para lavar

Mas quem manda ter 5 filhos?

Quanta frauda, quanta louça

Quanta comida, haja Sucrilhos!


E Teqinha não parou por aí

Pois seus filhos lhe deram netos.

E ela em visita, em sua casa bonita

Lhes recebe de sorrisos abertos.


A última geração tem muita gente

Tem Tatau, Natan, Bruno e Maísa,

Tem Pedro, Rubens, Maíra e Fábio.

Mas pertos de você não somos nada,

Pois só o tempo torna alguém sábio.


Você fez muita coisa nesse mundo

E nesse mundo muita coisa já mudou.

De repente, em menos de um segundo

A neta mais velha já se casou.


E por tudo isso

Sem vergonha e sem receio

Afirmamos que somos a bolacha

E você, precioso recheio.


Fábio Campos Coelho (2008)

2 comentários:

Lívia Araújo disse...

Sabe um presente que a vida me deu?
Você!

Sério mesmo Tigrão .. te considero muito mesmo!

"E por tudo isso
Sem vergonha e sem receio
Afirmamos que somos a bolacha
E você, precioso recheio."
Adorei o final ;*

alfredo coelho mendonça disse...

ai mando muito bem thubim
cada vez melhor
o poeta humilde que nao gosta de publico kkkkkkk
eh nozes primao
e com castanhas e chocolate