terça-feira, 20 de maio de 2008

Sorte




Eu jogo tudo pra fora, com felicidade sem denominação, até porque felicidade já é uma palavra e toda palavra não passa de conceito. Os amigos são muitos, mas parece que alguns são fixos sem querer ser, porque a personalidade deles não exige força artificial para ser igual à nossa. Parece que quando se tem um amigo de verdade, a palavra amigo é apenas mais designação de palavra, e isso nos faz perceber que existem pessoas decentes, que servem para mostrar a mediocridade de cada um através de tal decência. Não é filosofia, é verdade. Ou pode até ser filosofia verdadeira. Viver aleatoriamente é como jogar um dado e não dar muita importância com o número seis. O sorriso voltado mais para o humor do que para a simpatia mostra que o não planejamento pode ser tão brilhante quanto uma vida de namoro, pois nos dois casos a sorte existe. A sorte pode ser muito bem a justiça que entra na vida dos de bem coração para lhes avisar que felicidade também é recompensa de bondade. Afinal, sorte também é apenas mais uma palavra no dicionário. Mas sorte mesmo é ganhar um prêmio por algo que não se quis exatamente fazer.


Fábio Coelho (18.05.08)

Um comentário:

Sirius disse...

Olá thubin, iniciei com alguns amigos um blog sobre "poesias e parafernálias". Dê uma olhada na nossa idéia: cresjenipapo.ning.com
Se gostar, escreva lá conosco. Grande abraço e bons devaneios, claro, poéticos. Lucas (leitao).