sábado, 19 de março de 2011

Angústia


Tenho raiva de mim. Estão me acontecendo coisas angustiantes, que vêm de mim. São pensamentos tortos, feios, pecaminosíssimos, cruéis, e o pior: eles aparecem sem eu lhes dar licença; aparecem espontâneos, inopinados. São as reflexões, os desejos mais picantes, e eu fico surpreso por terem vindo de mim, porque suas representações não correspondem ao que eu penso ser legítimo meu. Então eu me puno, tento convencer-me de que não pensei daquele modo desgraçado -- só aconteceu um engano. O mais maçante é a duração dessa tentativa. Fico resgatando o pensamento o mais equivalente possível. Quero repetí-lo da maneira como foi e através desse resgate psicológico, pretendo dar outro tom ao pensamento primitivo, um tom mais suave, mais humano, menos vergonhoso, menos transgressor. Preciso provar-me que não sou tão maldito assim, mas muitas das vezes não chego ao objetivo e fico piscando, em forma de cacoetes, louco, perturbado. É horrível.

Binho -17/03/11-

6 comentários:

Luna Jeannie disse...

lindo! pra mim isso é o mais difícil da vida, controlar os pensamentos. Dos mais perversos aos mais pecaminosos, só uma máquina para fazer isso.
;**

Luna Jeannie disse...

e é incrível, vim no meu blog para postar algo mais ou menos parecido e li seu texto. Incrível!

Fábio Coelho disse...

é a frequencia, luna. é a frequencia!
e cade o texto que fala sobre isso? quero ler, voce nao colocou, malandra
beijo! t.a.

Luna Jeannie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luna Jeannie disse...

lá está o texto, jor. ;)

Senhora_d0_Lago disse...

O que te aterroriza é o que te torna humano. O horror e a vergonha que sentes de alguns dos teus pensamentos é o que te deve tranquilizar. És tão profundamente humano e belo. Maus pensamentos todos temos, arrependimento por eles só alguns.