quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Será assim?




Na hora de dormir, às vezes me vem aquela agonia vinda de não sei de onde, aquele quadro pungente com um monte de opções de o que pensar. O que pensar antes de dormir? Pergunta tão bonita -- já dizia o Duca. Pergunta tão bonita que não precisa de resposta; ele disse desse jeito. Mas é que tem algumas noites sorteadas pra gente, madrugadas que te jogam na parede e dizem “E agora? Você vai dormir? Não está esquecendo de pensar em nada?” E eu olho para a noite, paro, ando um pouco em círculo, coço a cabeça e me entra aquele abismo, que é pequena fresta ao mesmo tempo. Aquele buraco, sinal de que está faltando alguma coisa no andar do meu cotidiano, alguma prática, uma mera reflexão que deixe a vida mais digna de ser. Parece que a noite, sendo somente nesse específico momento os mortos tranqüilos, na cadeira de balanço da transcendência, que não é céu nem inferno, me dá um toque suave, real e sincero: “Acontece isso com você porque, quando você dorme, está simulando a morte. Cada sono é um ensaio para a morte, e é nessa hora que você não sabe quem é – antes de dormir --, por isso a agonia da existência, essa multidão de vetores dizendo o destino para onde seus passos podem ou devem ir. Vai viver, menino, você tem que apenas viver.” Então, finalmente, eu satisfaço a noite, penso em mais coisas que aquele quadro antes irritante me sugeria, fico tranqüilo e durmo sem saber que estou dormindo. E eu vivo no sonho o momento em que minha morte está iminente, uma tarde com chuva rala, então penso comigo mesmo: "e agora? O que eu vou pensar? O que eu tenho para fazer? Nada, já fiz tudo e tudo se esgotou. E agora, eu vou desembocar no famoso sentido da vida? Eu tenho que ver no que vai dar, já que agora o sono vai ser para sempre. Já sou velho e ainda não sei o que concluir antes do descanso grande."
Acordo sem saber a resposta. E vou morrer sem saber que morri.

Fábio Campos Coelho – 24.02.11
às 03:07

2 comentários:

Luna Jeannie disse...

quanto tempo não lia seu blog, sempre tão lindo, tantas digressões, você como sempre tão reflexivo e intenso...
lindo, jor. Do tipo: vou chorar.

"..essa multidão de vetores dizendo o destino para onde seus passos podem ou devem ir. Vai viver, menino, você tem que apenas viver"

vá viver! ;*

silvioafonso disse...

.

Muito bom, cara.
O caminho e este, portanto;
siga-o.

silvioafonso





.