domingo, 1 de maio de 2011

Vadio da Noite


É preciso ser triste
e não só ter o impulso da euforia
- carro que já sai de terceira se arrepende,
não funciona.

É preciso pensar na noite,
durante a madrugada,
e pensar no que se vai pensar,
triturar o passado em presente,
contemplá-lo,
ter saudade do que já foi:
poltronas de avó,
a professora instigante pela experiência
e a menina das pernas grossas.

O passado na noite
vem à tona, num pacote em promoção
com a vontade de lembrar - de brinde.
O travesseiro nos exige vitória
e por isso é preciso lembrar
para então ser triste,
para só então ser feliz
e dormir.

Quem dorme sem ser triste
não sente que viveu,
não sente o fogo que queima,
a corda que aperta,
a regeneração precisa.
Não sente a recompensa do corte,
não curte ser vulnerável
para depois estar imune ao mesmo corte.
Não sabe que o travesseiro de plumas
é o que mais exige a lembrança
do corte,
da corda,
do fogo.

Fábio Campos Coelho 27.04.11

8 comentários:

Inia disse...

Obrigada.

Tiago Alexandre disse...

Essa poesia foi NO OLHOO!!!!
A tristeza também é um caminho pra quem procura ser forte.

Luna Jeannie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luna Jeannie disse...

sabe quando o olhe se enche de água?

Inia disse...

Obrigada por me lembrares que a tristeza faz parte do caminho, necessária para o equilíbrio natural da vida. Às vezes parece-me muito mais fácil evitá-la para ser feliz, esquecendo que ao evitá-la deixo também de viver. Um destes dias escreverei um artigo um pouco mais esclarecedor, quando eu própria me sentir mais esclarecida. Beijinhos e momentos felizes!

silvioafonso disse...

.

Cara, seu blog é delicioso.
Acompanhe o meu para que eu
o tenha a um clik, como fiz
com o seu.

Um abraço,

silvioafonso




.

Nanda disse...

Que poesia mais linda, menino!!! Demorei um tempão pra passar por aqui... vida corrida, acabo esquecendo. Aí, quando dou as caras por aqui, deparo com essa "chilapada na derme" hehehehe...
Coisa mais linda do mundo seu poema... não só esse, mas esse em particular se encaixou bem no meu dia. Tô boba, tô emocionada, tô... sei lá! Não sei o que comentar. Então me desculpa por não saber dizer mais do que "Tá a coisa mais linda do mundo, menininho!"

Alex Canuto de Melo disse...

Num vô comentá nada, cito apenas a primeira estrofe que pra mim equivaleu a uma bela chilapada na derme:

É preciso ser triste
e não só ter o impulso da euforia
- carro que já sai de terceira se arrepende,
não funciona.


tá, comento... essa aí pra mim foi tão forte quanto a frase de teu vô toin, das 5 saca de sal. li agora, as 01:45 da manhã, pouco antes de ir à cama e encostar a cabeça ao travesseiro. Sinto que carecia essa chilapada agora, me botou a pensá, me botou a reverenciá minha tristeza, minha fraqueza, pra dela partir praquilo que o Dunguinha bem disse "A tristeza também é um caminho pra quem procura ser forte..."